sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Prefeito de Coelho Neto realiza grande ato político em favor de seus candidatos.


Foi uma noite festiva, onde a animação e descontração deram o tom.
O Prefeito Américo e seu grupo político fizeram bonito, no grande evento realizado em favor de seus candidatos. A saber:

Rubens Pereira Júnior 6565(Deputado Federal)
Rafael Leitoa 12300 (Deputado Estadual)
Weverton Rocha123 (Senador)
Flávio Dino 65 (Governador)
Haddad 13 (Presidente)

O ato político ocorrido na noite desta quinta-feira (20) contou com a participação vereadores, lideranças comunitárias e de uma grande multidão, o que reforçou a capacidade de organização e articulação política de Américo e de seu grupo político.
Reunião grandiosa e bastante animada, onde os organizadores não precisaram desobedecer às regras das Justiça Eleitoral, para atrair o público, como correu com certo candidato que não foi nada gentil com as normas vigorantes do pleito. Aliás, agir dentro da legalidade é algo que o Prefeito Américo não abre mão. Pena que nem todos ajam assim.

Ficou claro para aqueles que participaram do evento, quem de fato merece o voto da população coelhonetense. Pois, após o término da eleição muitos candidatos que ora se apresentam simplesmente irão “sumir do mapa”, permanecendo apenas aqueles apoiados pelo governo municipal.

Entre outras coisas, o prefeito informou estar em construção no Hospital Municipal uma ala para acolher mulheres que forem dar à luz.

Será uma estrutura com apartamentos climatizados para que elas possam ficar à vontade e receber familiares e amigos durante a estadia. Algo só visto em hospitais e clinicas particulares.  

Em resumo, Américo mostrou mais uma vez que, além da trabalhar pela população, sabe fazer campanha política, respeitando as pessoas, sem xingamentos e palavras de baixo calão. 

Como deve ser.   

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Prefeito de Coelho Neto realizará grande ato político nesta quinta (20).



O prefeito de Coelho Neto., Américo de Sousa, realizará grande ato político no final da tarde desta quinta-feira (20), no Espaço de Eventos Mirian Modas. A atividade será o pontapé inicial da campanha de seus candidatos no município.

Américo apoiará os seguintes candidatos:

Rubens Pereira Júnior 6565 – Deputado Federal

Rafael Leitoa 12300 – Deputado Estadual

Weverton Rocha 123 – Senador

Flávio Dino 65 – Governador

Haddad/Lula 13 - Presidente

Os candidatos estão listados de acordo com a nova ordem vigorante de votação.

O bom desempenho nas urnas desses candidatos no município significa o fortalecimento do mesmo e consequentemente mais benefícios para a população local.

Uma cidade tem muitos problemas e para enfrentá-los o gestor precisa recorrer a parcerias políticas, tanto no plano estadual como no federal.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Parceria entre Prefeito Américo e Governo do Estado segue rendendo benefícios para a população de Coelho Neto.

Américo vistoriando o asfaltamento de ruas e dialogando com a população.

Desde que assumiu a governança do município de Coelho Neto, o Prefeito Américo, apesar da crise que assola o país, tem conseguido, por meio de parcerias políticas, realizar diversas ações em benefício da população.

Neste sentido, o Governo do Estado tem sido um grande parceiro da gestão de Américo, sem falar nos deputados que o apoiam.

O asfaltamento de ruas que ora vemos é apenas um dos benefícios advindos dessas parcerias do Prefeito Américo, que tem feito um governo honesto e transparente, diga-se de passagem.

Dando um passo de casa vez, ele segue realizando melhorias para o povo coelhonetense, na Educação, Saúde, Agricultura, Cultura, infraestrutura... Ainda falta muito a ser feito, reconhece o gestor, mas com organização, planejamento e trabalho haveremos construir a cidade que queremos.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Veja o que disse o vice de Bolsonaro.


Como se não bastasse o Bolsonaro falar tantas idiotices, seu candidato a vice agora resolveu falar besteira também.

Com a palavra as pessoas de bem que foram criadas só com mãe e avó.

sábado, 15 de setembro de 2018

O desespero e destempero de Soliney.


Quem tem acompanhado as “palestras” e as manifestações do ex-prefeito de Coelho Neto, Soliney Silva (do Partido do Michel Temer), já percebeu o nível de desespero e destempero do mesmo, em sua desesperada tentativa de voltar a dar as cartas no jogo político.

Acostumado a se fazer ouvir pelo grito, o ex-mandatário parece ainda não ter percebido que os tempos são outros. Prova disso foi a debandada de aliados, que agora buscam seus próprios caminhos. Certamente porque perceberam que o barco afundou de vez.

Conseguir se eleger deputado estadual parece ser um sonho distante, que talvez só encontre lógica na cabeça de Soliney. Basta olhar ao redor para ver a falta de apoio a seu projeto político. Soliney não tem nenhum dos prefeitos da região lhe apoiando e não detém mais o comando da Prefeitura de Coelho Neto.

Conseguir os votos necessários para ocupar uma das 42 cadeiras no legislativo estadual será uma tarefa difícil. Sem falar que sua candidatura pode sofrer um revés a qualquer momento, visto que a mesma se encontra pendurada numa Liminar. Esse é um fantasma com o qual Soliney terá que conviver no decorrer dessa campanha.

Os tempos mudaram e a forma de fazer campanha eleitoral também. Só ele permanece o mesmo de sempre, tanto nas mentiras como na falta de respeito a seus adversários.

Parece ter esquecido a bagaceira que deixou em Coelho Neto ao sair da Prefeitura: Cidade abandonada e cheia de lixo (4 meses sem coleta), Salários atrasados, município inadimplente, obras abandonadas, prédios públicos com a energia cortada, outros fechados...

Como diria o Coxinha: O diabo é moleque!


sexta-feira, 14 de setembro de 2018

O bom filho a casa torna: Tiago Pinheiro mata a saudade dos microfones da Cidade Livre FM.



Quem esteve no estúdio da Rádio Comunitária Cidade Livre Fm, 87,9 no final da manhã desta sexta-feira (14) foi o radialista Tiago Pinheiro, o locutor que está curtindo férias em  Coelho Neto-MA, sua cidade natal, aproveitou para matar a saudade dos microfones da emissora. Ele fez uma participação no Programa de notícias Cidade da Gente, apresentado pelo radialista Edson Silva.

Thiago faz parte da história da emissora, sendo um dos primeiros locutores da mesma. Atualmente ele vive e trabalha na cidade paranaense de São José dos Pinhais.

Américo de Sousa: O prefeito maranhense que está revolucionando a agricultura familiar no Leste do Estado.


Ele recebeu o município com o setor agrícola falido, mas com determinação e gestão eficiente já colhe os frutos do trabalho realizado em prol dos agricultores familiares.

A receita? Acreditar no potencial desses pequenos produtores, fornecendo-lhes maquinário e apoio técnico especializado. Está dando certo! As imagens falam por si!

Partindo do zero, hoje já são 49 agricultores familiares fornecendo seus produtos para a merenda escolar das escolas da rede municipal, 25 ainda em seu primeiro ano de governo.

Assim, Coelho Neto vai se firmando como referência em apoio e desenvolvimento da agricultura familiar na região.

O artigo em que Haddad explicou como foi construída a farsa do “kit gay”

O ex-ministro da Educação Fernando Haddad, candidato a vice-presidente na chapa de Lula, escreveu um artigo para a revista Piauí, publicado em junho de 2017, que tratou do tema que Bolsonaro explorou ontem na sabatina à Globo, o chamado “Kit Gay”. Bolsonaro insiste em uma fraude, como Haddad detalha. A seguir, um trecho do artigo do ex-ministro:
Sensação semelhante, de percepção dos próprios limites diante de uma situação que indica maus presságios, eu tive em 2011, no Ministério da Educação, durante a crise do chamado “kit gay”. A história toda, a começar pela expressão preconceituosa, é um exemplo de como uma informação falsa pode ser criada (e deliberadamente mantida) com intenções políticas nefastas – e consequências sociais que reverberam até hoje.
A Comissão de Direitos Humanos da Câmara, acertadamente, aprovou uma emenda de bancada ao orçamento, designando recursos para um programa de combate à homofobia nas escolas. O Ministério Público questionou o MEC sobre a liberação da emenda. Só então o MEC entrou na história, solicitando a produção do material a uma ONG especializada. No exato momento em que o material foi entregue para avaliação, eclodiu a crise do “kit gay”.
Desde o início, quem lia as notícias imaginava que aquela era uma iniciativa do Executivo, quando na verdade a demanda havia sido do MP e do Legislativo. Também se sugeriu que o material estivesse pronto e já distribuído, quando sequer havia sido examinado. Expliquei tudo à imprensa e às bancadas evangélica e católica do Congresso, e o mal-entendido parecia desfeito. Despreocupado, viajei no dia 25 de maio a Fortaleza para receber o título de Cidadão Cearense. Então, durante a minha ausência de Brasília, um material de outro ministério, o da Saúde, foi apresentado como sendo o tal “kit gay” do MEC para as escolas. Esse outro material se destinava à prevenção de DST/Aids e tinha como público-alvo caminhoneiros e profissionais do sexo nas estradas de rodagem – com uma linguagem, portanto, direta e escancarada.
O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) exibiu em plenário a campanha do Ministério da Saúde dizendo que eu havia mentido no dia anterior e que as escolas de Campos dos Goytacazes, onde a mulher dele, Rosinha Garotinho, era prefeita, já dispunham de exemplares para distribuir aos estudantes. Aquilo virou um caldeirão. Gilberto Carvalho, então chefe de gabinete da Presidência, me telefonou alarmado. Eu disse: “Gilberto, pare dois segundos para pensar e se acalme. Isso não existe. O material para as escolas ainda está na minha mesa, não há chance de ele ter sido distribuído.”
Era, evidentemente, uma armação, explicada inúmeras vezes para a imprensa, mas a confusão já estava feita. E a polêmica do “kit gay” – que foi sem nunca ter sido – estendeu-se por meses. Em junho, às vésperas da Marcha pela Família, convocada por grupos religiosos em Brasília, recebi em meu gabinete o senador Magno Malta (PR-ES) para conversar sobre o assunto. Em determinado momento, ele elevou o tom e começou a me ameaçar. Disse que a Marcha ia parar na frente do MEC, que eles iriam me constranger. Mantive o tom calmo que sempre adoto: “Mas, senador, o senhor conhece a história, sabe que não é verdade.” Não adiantou. Percebi, então, que aquilo não era uma questão de argumentos, mas um jogo de forças. E eu disse, também com o tom de voz mais alto: “Então venham. Hoje à noite eu vou rezar um Pai-Nosso e amanhã nós vamos ver qual Deus vai prevalecer, o da mentira ou o da verdade.”
O senador parou, abriu um sorriso e pegou na minha mão: “Você é um homem de Deus. Se acredita n’Ele, eu acredito em você.”
Voltei a esse episódio já relativamente antigo porque ele me parece exprimir muito bem um fenômeno que o ultrapassa. Em um artigo recente para a revista nova-iorquina Dissent, a filósofa norte-americana Nancy Fraser discutiu a eleição de Donald Trump e o que chamou de “derrota do neoliberalismo progressista”. No texto, Fraser mostra como se constituiu nos Estados Unidos a disputa entre duas modalidades de direita: o neoliberalismo progressista dos governos Clinton e Obama e o protofascismo de Trump, com seu discurso protecionista na economia e seu conservadorismo regressivo em relação aos costumes e direitos civis. Pode-se discutir se é correto enquadrar Obama no campo neoliberal, mas o que importa preservar do argumento da autora, nesse embate, é que a grande vantagem do neoliberalismo americano, que era o diálogo com as minorias – LGBT, mulheres, negros e imigrantes –, se perdeu.
O que vimos no Brasil dos últimos anos foi algo um pouco diferente: essas duas modalidades de direita em boa medida se fundiram, de modo que mesmo nossa direita neoliberal passou a cultivar a intolerância. A vitória socioeconômica do projeto do PT até 2013 foi tão acachapante – crescimento com distribuição de renda e ampliação de serviços públicos – que sobrou muito pouco para a versão civilizada da direita tucana. Ela não podia mais se dar ao luxo de ser neo-liberal e progressista. Para enfrentar a nova realidade, os tucanos passaram a incorporar a seu discurso elementos do pior conservadorismo.
Temas regressivos foram insuflados no debate nacional. A campanha de José Serra à Presidência em 2010 foi um momento importante dessa inflexão tucana. Embora talvez fosse o desejo íntimo de alguém como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o PSDB não conseguiu se transformar na versão brasileira da agenda democrata norte-americana. Pelo contrário, ao radicalizar o discurso conservador, o partido revolveu o campo político de onde floresceu a extrema direita no Brasil. Quem abriu a caixa de Pandora de onde saiu o presidenciável Jair Bolsonaro foi o tucanato. Embora essa agenda pudesse vir à tona em algum momento, foram os tucanos que a legitimaram. Um equívoco histórico. Quando, pela mudança de conjuntura, se tenta abdicar desse ideário, isso já não é mais possível, pois logo aparece alguém para ocupar o espaço criado. Foi exatamente o que aconteceu: a extrema direita desgarrou e agora quer tudo – a agenda tucana e muito mais.
Um movimento semelhante ocorreu com a imprensa. Curiosamente, o veículo que mais respaldou essa pauta foi aquele de quem menos se esperava uma aproximação com o obscurantismo: o jornal Folha de S.Paulo. Sob o manto moderno do pluralismo, uma pretensa marca do jornal, a Folha legitimou, tornou palatável e deu ares de seriedade a uma agenda para lá de regressiva. Adotando inclusive a expressão “kit gay”, criada pela bancada evangélica do Congresso, o jornal deu dignidade a uma abordagem que contribuiu para que o debate sobre direitos civis atrasasse cinquenta anos no país.
Embora tenha desandado na cobertura noticiosa, a Folha continua utilizando o espaço dos editoriais para se apresentar como uma espécie de vanguarda da modernidade. O expediente tornou-se tão incongruente com as opções do noticiário que em determinado momento a Folha precisou alardear em peças publicitárias, no próprio jornal e na tevê, aquilo que seria seu posicionamento oficial sobre temas mais delicados. Vejo isso como um caso singular de cinismo que maquiava o embarque do jornal numa espécie de “neo-liberalismo regressivo”.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Prefeito Américo disponibiliza oficinas de música para a comunidade coelhonetense: Mais de 500 pessoas serão contempladas na etapa inicial.

A Prefeitura de Coelho Neto, por meio da Secretaria Adjunta de Cultura, deu início às oficinas gratuitas de música. A abertura do projeto aconteceu no Teatro Municipal, nesta quarta-feira, 12/09, às 18h30. Ao todo, são cinco (05) oficinas cujo cadastro aconteceu no período de 15 a 30 de agosto. 
Disponibilizadas para estudantes de todas as redes de ensino e interessados, as oficinas de música é mais um grande projeto cultural, disponibilizado pelo prefeito Américo de Sousa, voltado para a comunidade, passo importante da gestão que visa descobrir, incentivar e formar novos talentos, preservando assim a riqueza cultural do município.
O corpo docente dos professores instrutores é formado por profissionais de excelência, pratas da casa, e ministrarão as aulas semanalmente, no período da manhã e tarde, no prédio da Secretaria de Cultura. 
Com início segunda-feira, as oficinas ficaram assim definidas:
Oficina de Violão: 180 alunos 
Instrutores: Selso Fernandes e Hudson Barbosa
Oficina de Teclado: 132 alunos
Instrutores: Márcio Pereira, Fernando Barros e Chiquinho
Oficina de Flauta Doce: 70 alunos
Instrutores: Rafael e Miquéias
Oficina de Cavaco: 30 alunos
Instrutor: Walber Ronan
Coral de Jovens e Adultos: 40 alunos
Coral Infantil: 40 alunos
Instrutor: Ednildo Martins
Oficinas em andamento 
Banda Municipal: 20 integrantes
Projeto Brigadista: 70 integrantes
Um total de 582 integrantes que estão caminhando rumo a um futuro promissor, uma vez que a música é uma aliada na formação pessoal e profissional de crianças, jovens e adultos.
Compuseram a tribuna de honra, o Secretário Adjunto de Cultura, Toinho da Cultura, a Secretária de Educação e Cultura, Williane Caldas, o Prefeito Américo de Sousa, vereador Júnior Santos e o presidente da Câmara Municipal, Osmar Aguiar. 
O Projeto conta com todo o apoio da gestão municipal, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, coordenado por meio da Secretaria Adjunta de Cultura. 
O Secretário Toinho da Cultura agradeceu a presença do Prefeito Américo de Sousa e de todos os presentes e fez um breve relato de seu percurso pela cultura, desejando boas-vindas aos alunos e professores instrutores: “Ainda não havia percebido, nas vezes em que me propus a lançar algo na área da cultura, direcionado para crianças, jovens e adultos, um diferencial: a caminhada firme e segura em que a perspectiva do amanhã é bem diferente de outros momentos. Vejo, hoje, esse trabalho com um novo olhar, uma nova visão, como algo que se planta agora para colher em um futuro cada vez melhor. Minha missão é contribuir e fazer algo de bom para minha comunidade. Agradeço ao prefeito municipal, Américo de Sousa, pelo apoio e, da mesma forma, agradeço Williane Caldas e toda sua equipe pela sólida parceria. A visão do nosso prefeito é a de fazer um trabalho novo, pois essa administração tem uma visão para o hoje e para o amanhã, com um olhar renovado para a cultura a fim de que ela cresça e se consolide. Nossas oficinas começam segunda-feira, 17/09. Nossa “casa” está pronta, arrumada do jeito que vocês merecem. Aguardo todos os alunos inscritos. Estamos cuidando da Cultura como um todo. Ainda esse ano teremos o festival de vozes; os artistas plásticos terão mais uma exposição e um novo caminho para o artesanato está sendo traçado. É assim que o governo está trabalhando, é assim que nossa equipe estará trabalhando”.
A Secretária de Educação e Cultura, Williane Caldas, enfatizou sobre o profissionalismo do secretário adjunto de cultura, ao tempo em que agradeceu todas as pessoas que estão empenhadas neste projeto:“Nesta noite, estamos felizes por contribuir com a Cultura do nosso Município. Falar de Cultura é também pensar em Toinho da Cultura, é um profissional que vem somar conosco. Agradeço o olhar carinhoso do prefeito Américo de Sousa para a concretização dessas oficinas, que com a determinação e empenho realiza hoje a abertura das oficinas de música. Enquanto Secretária de Educação e Cultura acredito que esse é um passo inicial para que a criança comece a desenvolver suas potencialidades tanto em sala de aula quanto em outros lugares. Este palco, daqui a alguns dias, será, de fato, usado por vocês. Eu, Toinho e o Prefeito Américo estamos aqui de passagem. Brevemente, serão vocês os herdeiros desse município, e nós nos sentimos felizes em participar deste momento e do processo de formação intelectual, pessoal e profissional de cada aluno inscrito. De todos que vão participar, desde a criança, o adolescente e o adulto, desejo êxito, foco e determinação naquilo que irão fazer. Estou feliz e grata pela Banda Municipal que brilhou no desfile do dia 7 de setembro e pelo Projeto Brigadista que está sempre de prontidão quando é solicitado e aqui agradeço a todos os integrantes na pessoa do regente Alex Bastos. Agradeço também ao público em geral, professores, gestores, coordenadores, alunos, que estão aqui conosco. Essa parceria é fundamental. A Educação, como eu sempre friso, não é um papel só do prefeito, não é um papel só da cultura ou só da educação, mas é um papel da sociedade como um todo. Hoje, estamos fazendo nossa parte e acredito que cada um fazendo a sua, com certeza teremos êxito em tudo que fizermos. Desejo muito sucesso a cada aluno, a cada professor aqui apresentado, que tudo isso comece com muita garra, mas que termine, acima de tudo, com muito sucesso. Só estamos no começo. Já, já, estaremos com este palco cheio de artistas da nossa terra e, quem sabe, até mandando para o mundo. Parabéns! Sejam todos bem-vindos!”.
O Prefeito Américo de Sousa destacou o empenho da Secretária Williane Caldas e do Secretário Toinho da Cultura, agradeceu a participação de todos e desejou boas-vindas aos alunos inscritos nas oficinas:“Ao todo, são mais de quinhentos alunos inscritos neste projeto. O Toinho foi convidado para fazer parte do setor cultural do município. Ele trouxe ideias, e nós as acatamos, porque queremos fazer uma gestão em que as pessoas possam ser ouvidas, que tenham plena participação e inclusão. E por falar em inclusão social, em participação e não falar nas crianças, na juventude e nos adolescentes, não estamos sendo participativos. Por isso, temos um olhar especial para a Educação e a Cultura. Aos poucos, estamos colhendo os resultados das ações municipais. Aproveitem essas oficinas da melhor possível. O Toinho tem toda uma dedicação para oferecer através dessas oficinas e elas serão só começo. Observem que todo talento nasce de iniciativa como essa que está acontecendo aqui. Então aproveitem, se dediquem, porque isso também vai reforçar, inclusive, no processo de formação cultural de cada um. Estamos à disposição de todos, aceito reclamações, ideias, sugestões, pois fomos eleito para servir à comunidade". 
Estiveram presentes o prefeito Américo de Sousa, o Secretário Adjunto de Cultura, Toinho da Cultura, Secretária de Educação, Williane Caldas, instrutores das oficinas de música, alunos inscritos, secretários e assessores municipais, vereadores Osmar Aguiar e Júnior Santos e comunidade em geral.

Novos tempos em Coelho Neto: Prefeitura realiza Audiência Pública para apresentação e discussão do Plano Municipal de Saneamento Básico.

A Prefeitura de Coelho Neto, através do Comitê de Coordenação e Comitê Executivo de Elaboração da Política Pública de Saneamento, realizou a Audiência Pública que tratou do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB). O evento foi realizado no dia 12 de setembro de 2018, às 18h30min, no Auditório da Câmara Municipal, situada à Rua Rio Branco, s/n, Centro.
A Audiência Pública teve como objetivo apresentar sugestões, recomendações e discussão do Plano Municipal de Saneamento Básico do Município de Coelho Neto. O PMSB, portanto, torna-se um instrumento que comporta diretrizes, estudos, prioridades, metas e procedimentos necessários, com participação da sociedade.
O secretário executivo do Comitê de Coordenação, Ronaiby César, mediou a Audiência, pondo em discussão os seguintes eixos:
- Abastecimento de água potável
- Esgotamento sanitário
- Manejo de resíduos sólidos
- Drenagem urbana
- Controle social
Os temas das palestras realizadas serviram como base para as discussões e tiveram como intuito alertar e conscientizar acerca da problemática que envolve o processo de saneamento com posterior reflexo no meio ambiente. 
Palestrantes e temas:
Thiara Lopes 
Tema: Resíduos Sólidos
Gabriel Ramos 
Tema: Drenagem Urbana
Caio Victor Moreira Lima
Tema: Abastecimento de Água
Nelson Gaspar
Tema: Esgotamento Sanitário
Siana Kelly
Mobilização Social
Para o Comitê de Coordenação, na pessoa de Mariazinha Carvalho “O encontro foi oportuno momento para reflexão diante da problemática acerca do saneamento. É uma forma de dá inicio à criação de politicas públicas do saneamento no município, que dentro da sua responsabilidade mobiliza a sociedade para esclarecer, informar sobre o projeto e assegurar a participação dos cidadãos. Nessa mobilização, tivemos a oportunidade de ouvir as opiniões, sugestões, para posteriormente chegarmos à culminância do projeto”.
Na Audiência, representou o prefeito Américo de Sousa o Secretário de Planejamento, Administração e Finanças, Milton da Silva Mourão. Também fizeram-se presentes secretários e assessores municipais, vereadores e público em geral.

A Secretária Williane Caldas e a “dieta” dos alimentos produzidos pelos agricultores familiares de Coelho Neto.


Tem causado incômodo, em setores da oposição de Coelho Neto, as ações do Prefeito Américo no sentido de apoiar e valorizar a agricultura familiar no município. Setor que ficou abandonado na administração passada.

O incômodo teve mais um capítulo nas últimas horas quando alguém, já conhecido no meio da informação como mentiroso, tentou criar um fato negativo, envolvendo a introdução do milho no cardápio da merenda escolar, como se ela se reduzisse a este alimento, saudável e nutritivo, diga-se de passagem.
Somente uma pessoa de visão política míope poderia fazer tal crítica. É preciso ir além de uma espiga de milho e ver que ela representa a sensibilidade de um gestor municipal com esses pequenos produtores, antes esquecidos pelo poder público. E que Representa sobretudo, a valorização do setor e a geração de renda para as famílias desses agricultores. Sem esquecer que estão disponibilizando produtos saudáveis para os alunos da rede municipal de ensino.

Essas são coisas que o ódio e a política partidária cega não conseguem ver. Deve ter sido exatamente por isso que o governo anterior, e até mesmo outros governos antes dele, nunca deram atenção para esses agricultores. Tempo perdido que o Prefeito Américo tenta recuperar agora em seu governo.

Parabéns ao Prefeito Américo e à Secretária de Educação, Williane Caldas, pela capacidade e coragem de ousar, garantindo assim cidadania para nossos agricultores familiares e alimentos de qualidade para os alunos das escolas municipais.

Associado diretamente a Lula, Haddad soma 22% e ultrapassa Bolsonaro.

O petista registra 31% no Nordeste e venceria todos os adversários no segundo turno, indica a nova pesquisa CUT/Vox Populi
Associado diretamente a Lula, Haddad soma 22% e ultrapassa Bolsonaro
A nova pesquisa CUT/Vox Populi confirma o poder de transferência de voto de Lula, preso em Curitiba e impedido de concorrer à presidência da República pelo Tribunal Superior Eleitoral. Quando claramente apresentado aos eleitores como o candidato do ex-presidente, o petista Fernando Haddad alcança 22% de intenção de votos e assume a liderança na disputa.
Jair Bolsonaro, do PSL, aparece em segundo, com 18%. Ciro Gomes, do PDT, registra 10%, enquanto Marina Silva, da Rede, e Geraldo Alckmin, do PSDB, aparecem com 5% e 4%, respectivamente. Brancos e nulos somam 21%.
O Vox Populi ouviu 2 mil eleitores em 121 municípios entre 7 e 11 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para cima ou para baixo. O índice de confiança chega a 95%.
Leia também:


O instituto tomou a decisão de associar Haddad diretamente a Lula no questionário, ao contrário das demais empresas de pesquisa. Segundo Marcos Coimbra, diretor do Vox Populi, não se trata de uma indução, mas de fornecer o máximo de informação ao eleitor. “Esconder o fato de que o ex-prefeito foi indicado e tem o apoio do ex-presidente tornaria irreal o resultado de qualquer levantamento. É uma referência relevante para uma parcela significativa dos cidadãos. Chega perto de 40% a porção do eleitorado que afirma votar ou poder votar em um nome apoiado por Lula”.
Um pouco mais da metade dos entrevistados (53%) reconhece Haddad como o candidato do ex-presidente. O petista, confirmado na terça-feira 11 como o cabeça de chapa na coligação com o PCdoB, também é o menos conhecido entre os postulantes a ocupar o Palácio do Planalto: 42% informam saber de quem se trata e outros 37% afirmam conhece-lo só de nome.
O desconhecimento é maior justamente na parcela mais propensa a seguir a recomendação de voto de Lula, os mais pobres e menos escolarizados. De maio para cá, decresceu sensivelmente o percentual de brasileiros que afirmam não saber que o ex-presidente está impedido de disputar a eleição: de 39% para 16%.
Ainda assim, é em meio a este público que Haddad registra grandes avanços. Na comparação com a pesquisa de julho, mês no qual o PT ainda nutria esperanças de garantir Lula na disputa, o ex-prefeito passou de 15% para 24% entre os eleitores com ensino fundamental e de 15% para 25% entre aqueles que ganham até dois salários mínimos. O petista chega a 31% no Nordeste e tem seu pior desempenho na região Sul (11%), mesmo quando associado ao ex-presidente.
Ciro Gomes é o menos rejeitado (34%) entre os cinco candidatos mais bem posicionados. Haddad tem a segunda menor taxa, 38%. No outro extremo, com 57%, aparece Bolsonaro.
O deputado, internado desde a sexta-feira 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, registra contudo o maior percentual de menções espontâneas (13%), contra 4% de Ciro e Haddad, 3% de Marina e 2% de Alckmin.
O fato de as citações espontâneas se aproximarem da porcentagem registrada por Bolsonaro nas respostas estimuladas demonstra, ao mesmo tempo, um teto do candidato do PSL e uma resiliência que tende a leva-lo à próxima fase da disputa presidencial.
O Vox realizou diversas simulações de segundo turno. Bolsonaro venceria Alckmin (25% a 18%), empataria tecnicamente com Marina (24% a 26%) e perderia para Ciro (22% a 32%) e Haddad (24% a 36%). O pedetista e o petista vencem os demais. O instituto não fez a simulação de um confronto entre os dois.
Por fim, a pesquisa mediu a percepção dos eleitores em relação ao ataque a Bolsonaro ocorrido em Juiz de Fora em 6 de setembro. A maioria absoluta, 64%, associa a facada a um ato solitário de um indivíduo desequilibrado, “com problemas mentais”. Outros 35% acreditam tratar-se de um atentado organizado e planejado, com fins políticos.
A maior parte dos entrevistados (49% contra 33%) não crê que o episódio possa influenciar a decisão de voto dos brasileiros.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

A imagem do dia: Mais uma conquista do Prefeito Américo para Coelho Neto.

Cristiane Bacelar (Articulação Política) e Olímpia Delgado (Saúde) recebendo mais uma ambulância para Coelho Neto.

Rapidinha da noite.



Rapaz, um passarinho me contou que um certo ex-prefeito do Leste Maranhense, mais sujo que pau de galinheiro, foi a uma festança na região: Bebeu, deu bebidas, “financiou” a entrada de gente no salão de festa e foi embora do local sem pagar um “mirréis”. Há há há

De nada adiantou os olhos compridos e o semblante de agonia do dono da festa ao ver a conta do homem aumentar e ouvir de muitos que a figura não iria pagar.

Além de jogar poeira em todo mundo ainda foi embora sem pagar a conta. É o besta! Há há há   



FAVORITO, HADDAD NÃO PRETENDE BATER EM NINGUÉM.

O efeito-Haddad já começa a reorganizar o cenário eleitoral e o comportamento dos candidatos. Momentos antes de o ministro da educação ser oficializado como candidato do PT à Presidência, Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB) já partiram para o ataque contra o petista. Os números que intimidam seus concorrentes diretos são aqueles apresentados pela pesquisa Datafolha: 33% do eleitorado dizem que votarão em Haddad com certeza e 16% dizem que 'poderão' votar - o que dá a soma de 49% de intenção de voto. Como virtual líder das pequisas, Haddad já entra na campanha como alvo preferencial dos pretendentes a irem ao segundo turno com ele. 
Os primeiros sinais da campanha de Haddad indicam que ele não irá bater boca com os adversários e irá concentra a campanha no confronto com os efeitos desastrosos do governo Temer sobre o povo e na reivindicação do "tempo do Lula" para o país.
Segundo reportagem do jornal O Globo "o agora candidato do PT tem uma motivação extra para poupar Ciro: seus eleitores podem ser fundamentais em um eventual segundo turno de Haddad contra Jair Bolsonaro (PSL). Pessoas próximas dizem que a disposição é deixar Ciro 'falando sozinho'."
Ciro Gomes, por sua vez, disparou a habitual metralhadora verbal giratória, tão logo Haddad tenha recebido a unção de Lula: "fui convidado a exercer esse papelão aí, de candidato a vice de araque para amanhã ser escolhido, na frustração do povo, pela não candidatura do Lula. Não é assim que se constrói uma liderança para um país."
Alckmin, o candidato a presidente mais fraco da história do PSDB, foi na mesma linha: "parou a enganação. É inacreditável o que o PT fez esse tempo todo sabendo que o Lula não seria candidato, e com dois objetivos: o primeiro é vitimização, e o segundo, proteger o Haddad — afirmou Alckmin ontem em São Paulo".